Projeto Voar - De volta a natureza - Montezuma e Região

O tráfico de animais silvestres tem consequências gravíssimas para a biodiversidade e pode ocasionar extinções de espécies de forma a desequilibrar o ecossistema. Enquanto as matas ficam vazias, os centros de triagem de animais silvestres (CETAS), que recebem animais apreendidos, estão lotados e o retorno desses animais à natureza constitui um desafio árduo para os gestores da fauna silvestre. Apesar disso, projetos de reintrodução são raros, mesmo sendo constantemente mencionados como uma alternativa para a conservação de espécies ameaçadas. O Amazona aestiva é o papagaio mais recebido nos CETAS, são retirados ainda filhotes de seu habitat natural, necessitando de um processo de reabilitação oneroso, complexo e demorado. Diante deste quadro delicado e alarmante, além de devolver essas aves à natureza, dando continuidade aos ciclos ecológicos interrompidos, esse projeto irá produzir informações técnicas e cientificas sobre processos de reintrodução.

Apresentado à Plataforma Semente pelo Instituto de Pesquisa e Conservação Waita, o projeto busca desenvolver as técnicas de triagem, manejo, reabilitação, soltura e o monitoramento de psitacídeos cativos. Esses são alguns dos objetivos do projeto.

Coloridas, animadas e barulhentas, são várias as aves que fazem parte da família dos psitacídeos e as mais conhecidas são as araras, os papagaios, as cacatuas, os periquitos australianos, os periquitos verdes, as calopsitas, as maritacas, as marianinhas, dentre outras. Elas possuem a cabeça robusta e larga para sustentar o bico, que é curvo, forte para quebrar e descascar sementes, alimentos como amêndoas, castanhas e coco.

Os psitacídeos pertencem à ordem psittaciforme que, conforme levantamentos realizados em 2019, é composta por 398 espécies, reunidas em quatro famílias, Strigopidae, Cacatuidae, Psittaculidae e Psittacidae.

Após desenvolver as técnicas mencionadas, o projeto "Voar - de volta à natureza - Montezuma e região", vai, com a participação ativa da comunidade de Montezuma, no Norte de Minas, soltar e monitorar, no cerrado, um grupo de papagaios-verdadeiros, Amazona Aestiva.

O projeto foi Contemplado pela 01ª Promotoria de Justiça da Comarca de Itabirito, por meio do Termo de Compromisso celebrado nos autos dos Inquéritos Civis nº 0319.13.000107-5, 0319.18.0000.28-7 e 0319.20.000345-1.

 

Proponente: Instituto de Pesquisa e Conservação Waita

Municípios de execução: Espinosa, Mato Verde, Monte Azul, Montezuma, Rio Pardo de Minas, Santo Antônio do Retiro, São João do Paraíso, Vargem Grande do Rio Pardo

Valor do Projeto: R$ 212.841,20

Período de Execução: 20 meses

Data da Contemplação:01/02/2022

Status: em andamento

       

Realizadores

Endereço

Avenida Raja Gabaglia, 2.000, sala 802 C, bloco 1 - Belo Horizonte/MG

Contato

31 3330-9927
semente@cemais.org.br

Acesso à plataforma