Espécies que vivem em ambiente urbano adaptam características para garantir sua sobrevivência

Por causa dos fatores externos, como a luz artificial e a poluição, os animais que vivem em ambientes urbanos vão mudando, ao longo do tempo, suas características físicas.

Segundo o texto publicado originalmente no portal G1, o cientista irlandês Menno Schilthuizen fez alusão a Charles Darwin, naturalista que apresentou a teoria da evolução a partir das suas observações feitas nas Ilhas Galápagos, para falar sobre essas adaptações. Para Menno, as evoluções na fauna podem acontecer próximas a nós, em nossa cidade.

O cientista é autor do livro "Darwin Comes to Town" (Darwin vem à cidade), que mostra casos surpreendentes de adaptações. As espécies alteram sua anatomia para sobreviver ao ambiente urbano.

Não só os animais passam por essas transformações para se adaptarem e evoluírem: as plantas também participam desse processo. Uma delas é a Cochlearia Danica. Geralmente, a planta cresce em ambientes à beira-mar. Porém, segundo o cientista, hoje em dia ela se adaptou e cresce em estradas da Europa. Isso acontece porque uma grande quantidade de sal é jogada no local durante o inverno para derreter o gelo.

Dos animais, um dos casos curiosos é o das andorinhas de asa curta. Elas se adaptaram ao longo do tempo porque eram atropeladas frequentemente. Hoje, elas têm asas mais curtas e arredondadas, e isso permite que elas façam manobras para desviar de veículos e consigam decolar nas estradas com mais facilidade.

Quer descobrir mais espécies que evoluíram no ambiente urbano? Acesse a lista elaborada pelo G1.

Foto: Charles R. Brown/BBC

Realizadores

Endereço

Rua dos Guajajaras, 1.611, sala 901, Barro Preto, Belo Horizonte/MG

Contato

31 2535-0028 e 31 3330-9982
semente@cemais.org.br