Alta produção e descarte incorreto de lixo plástico prejudicam o meio ambiente e mais de 10 milhões de resíduos chega aos oceanos

Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico do mundo: produz 11 milhões de toneladas de por ano, atrás apenas de Estados Unidos, China e Índia. É o que diz um estudo realizado pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF).

Ao mesmo tempo, o Brasil é um dos que menos recicla este tipo de lixo do mundo, já que apenas 1,2% é reaproveitado, o equivalente a 145.043 toneladas. Neste ranking, o país fica atrás de Yêmen e Síria, abaixo da média mundial de 9%.

De acordo com o estudo, cada brasileiro produz 1 kg de lixo plástico por semana. No total, 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas irregularmente e outras 7,7 milhões de toneladas em aterros sanitários.

A qualidade do ar, do solo e do fornecimento de água são afetados pela poluição de plástico, segundo a ONG, porque o material leva 100 anos para se decompor na natureza e absorve toxinas facilmente.

Uma destinação correta para o lixo plástico, a reciclagem e a diminuição da produção desse lixo seriam possíveis soluções para o problema. Medidas como a proibição, por exemplo, de canudos descartáveis podem contribuir com a causa. Incentivar o uso de embalagens retornáveis é uma ideia possível e com baixo custo.

Quando não são descartados corretamente, boa parte dos resíduos plásticos chegam aos oceanos: o relatório da WWF afirma que cerca de 10 milhões de toneladas de plástico vão parar nos mares. Matéria publicada no portal G1 mostra que essa quantidade equivale a 23 mil aviões Boeing 747 pousando nos oceanos todos os anos, mais de 60 por dia.

Se a progressão do lixo plástico nos oceanos se manter, até 2030 serão encontradas uma quantidade equivalente a 26 mil garrafas de plástico no mar a cada 2 quilômetros.

Realizadores

Endereço

Rua dos Guajajaras, 1.611, sala 901, Barro Preto, Belo Horizonte/MG

Contato

31 2535-0028 e 31 3330-9982
semente@cemais.org.br