Publicado em: 03/01/2023
87

Prevenindo a Extinção do Tatu-canastra (Priodontes maximus) na Mata Atlântica

O projeto foi apresentado na Plataforma Semente pelo Instituto de Conservação de Animais Silvestres que tem o objetivo de avaliar a viabilidade populacional e genética do tatu-canastra no Parque Estadual do Rio Doce (Perd), utilizando dados de dentro da unidade e dos fragmentos do entorno, além de engajar a comunidade local e transformar o animal em motivo de orgulho e símbolo dos esforços de conservação no parque.

Atualmente, o tatu-canastra é registrado em apenas dois sítios de ocorrência na Mata Atlântica (Reserva Biológica de Sooretama - ES e Parque Estadual do Rio Doce - MG).

Na Reserva Biológica de Sooretama – ES, os últimos estudos do Instituto apontam uma extinção local da espécie. Já no Parque Estadual do Rio Doce – MG, em nossos dados preliminares observamos registros de diferentes indivíduos de tatu-canastra . O trabalho de campo dentro e nos fragmentos no entorno da unidade, nos auxiliarão na avaliação da densidade, viabilidade populacional e genética da espécie, bem como as ameaças.

O Instituto realizou trabalhos no Pantanal e no Cerrado e as pesquisas demonstram que o tatu-canastra podem ser extinto de maneira fácil e rápida devido às suas baixas taxas reprodutivas e baixas densidades (Desbiez et al., 2019). Acredita-se que o Parque Estado do Rio Doce (PERD) esteja abrigando a última população viável de tatu-canastra da Mata Atlântica.

Estudos pretéritos mostraram que eles ainda ocorrem no estado do Espírito Santo (Srbeck-Araujo et al., 2009). No entanto, atualmente a espécie está funcionalmente extinta devido à caça furtiva neste local, com apenas 03 indivíduos identificados após dois anos de trabalho de campo intensivo na Reserva Biológica de Sooretama (Fontes et al., 2020). O Instituto atua no PERD há dois anos e já reuniu um conjunto de dados impar sobre a espécies. Mais de 350 registros, com aproximadamente 40 espécimes individualizados, foram catalogadas, além da interação de mais de 50 diferentes espécies com as tocas do tatu-canastra.

 

Proponente: Instituto de Conservação de Animais Silvestres  

Local de execução: Bom Jesus do Galho, Ipatinga, Marliéria, Dionísio, Timóteo

Valor do projeto: R$ 250.000,00

Período de execução: 12 meses

Data da contemplação: 20/12/2022

Status: em andamento

Prestação de contas

Visita Técnica

Relatório de visita da equipe técnica para acompanhamento do projeto, entre os dias 12 e 14/12/2023.

Clique aqui e acesse!
       

Realizadores

Endereço

Rua Matias Cardoso, 63 - Salas 1301 e 1302 - Bairro Sto. Agostinho, Belo Horizonte-MG, CEP 30170-914

Contato

31 3643-7604
semente@cemais.org.br

Acesso à plataforma

      
@2023 Projeto Semente  I  Todos os direitos reservados
CNPJ: 08.415.255/0001-27

Termos de uso
Privacidade
Preferências de cookies
Desenvolvimento: